terça-feira, 3 de junho de 2008

48 horas depois (3/3)

Atençao: algumas passagens deste texto têm direito a bolinha no canto superior direito.

Parte 3 (de 3)
Estrelinha com bolinha

Domingo, 1 de Junho

Onde é que está a nossa estrelinha, agora que precisamos tanto dela?

...

Onde?

Ah... sim... aqui... no passaporte... vejam lá bem as datas, se faz favor... não terão feito confusão com os dias?

Eis a primeira surpresa do dia: o visto não acaba amanhã. Não resolve todos os nossos “problemas”, mas ajuda. Temos mais um dia – ou seja, afinal vai dar para pedalar até Diama, mesmo que o vento continue de lado. O orçamento é que se mantém, o que implica alguma ginástica para esticá-lo por mais 24 horas. Não é o fim do mundo, podia ser pior – se ao menos as dores passassem...

Dormimos um pouco a seguir ao almoço. E voltámos à estrada, depois de um grupo de míudos nos ter vindo pedir tudo e mais alguma coisa. Fizemos 12km – a paisagem, ao contrário do vento, está a mudar aos poucos. Há mais árvores, a areia das dunas é mais alaranjada, o deserto começa a ganhar vida.

Temos os “turbantes” berberes enrolados à volta da cabeça, para nos protegermos do calor. A berma da estrada está cheia de cadáveres de camelos, burros e cães, atropelados, em vários estados de decomposição.

Muito lixo.

E de repente...

De repente uma pickup abranda e pára ao nosso lado, o vidro automático abre-se silenciosamente e uma brisa fresca de ar condicionado acaricia-nos o rosto estupefacto. O estrangeiro que vai a guiar pergunta-nos:

“Vêm de onde?”

“Lisboa.”

“E vão para onde?”

“Dakar.”

“Eu também vou para Dakar! Entrem!”

(Obrigado, estrelinha.)

Arrumámos as bicicletas e a bagagem na parte de trás da pickup e cumprimentámos o senegalês e a mauritana que viajavam com o Fabriccio, um italiano que vive entre Milão, Casablanca, Nouakchott e Dakar. E arrancámos, pois claro. Ao som de UB40, a beber sumo de ananás e a comer M&Ms – que bela reviravolta!

Não fomos com o Fabriccio até Dakar, claro. Por muito que ele não compreendesse a pancada estranha de dois tugas a viajar com 1000 euros até Dakar, tivemos de declinar o convite, e descemos em Saint Louis.

Que viagem! Ao som de Talking Heads, James Brown e The Doors, vimos a paisagem a mudar radicalmente, à medida que atravessámos, literalmente a voar, os 115km que faltavam até Rosso, a principal fronteira com o Senegal. Sobravam apenas 80, numa estrada de terra batida, até Diama – uma fronteira mais pequena, mais calma, teoricamente sem agentes corruptos.

E que 80km! Por muito que nos digam que o Rally foi cancelado, nao nos convencem - o Lisboa-Dakar 2008 aconteceu, e nós estávamos dentro do único carro que completou a única etapa realizada. Rosso – Diama.

A contabilidade final, ao chegarmos à fronteira, era de 2 pássaros, uma cabra e um cão atropelados. A cabra sobreviveu sem ferimentos, foi só uma pancada – já o cão e os passaros não tiveram tanta sorte. A namorada mauritana ameaçou saltar borda fora umas 328 vezes, as bicicletas e as malas ameaçaram saltar borda fora umas 328 vezes... e entre buracos e saltos, saídas de pista e muitos sustos (uns 328!), chegámos à fronteira com o Senegal em grande, com público a aplaudir e tudo.

Antes de chegarmos a Saint Louis, ainda houve tempo para mais uma peripécia: umas crianças tinham montado uma barreira na estrada, com baldes e paus, de maneira a ninguém conseguir passar, seja em que sentido. Assim que o Fabriccio parou o carro, aproximaram-se uns 7 ou 8 putos. Quando ele lhes perguntou o que se passava, responderam que se queria atravessar, tinha de pagar portagem.

Reacção imediata: mandou-os a Um-Certo-Sítio e pé no acelerador, com uma gargalhada deixou para trás uma “portagem” desfeita e um grupo de miúdos boquiabertos.

É verdade! Caso não tenham reparado... foi tudo tão rápido e inesperado... já estamos no Senegal! E a parte do público a aplaudir era só a brincar.

Amanha publicamos o video desta semana, que inclui imagens da viagem de carro.

3 comentários:

Anónimo disse...

Eu sabia que a minha estrelinha não vos ía deixar mal!!!!!

Agora já está quase...

beijos

Joana Mana

Anónimo disse...

Fantástico
Beijinhos
Tia Guida

Gisela disse...

Voces nao existem....lol Maravilhoso... Que estrelinha poderosa. Mil beijinhos saudades muitas