quinta-feira, 17 de abril de 2008

Burritos e carraças



Antes da nossa atribulada entrada no Sahara, encontrámos sombra para o almoço num muro de uma casa que parecia vazia, para além dum burrito que se protegia connosco do sol. Em poucos minutos apareceu o dono, que nos presenteou com um ramo de coentros da sua horta, e depois de partilharmos o nosso almoço com ele, convidou-nos para um chá e dois ovos cozidos.

Como ele não falava outra língua para além de berbere, comunicámos por gestos. E a vontade de trocar histórias era tanta, que o processo de comunicação rapidamente se transformou numa espécie de bailado, minunciosamente coreografado com onomatopeias, gestos e expressões. Talvez por isso, sentimos aquele momento com tanta intensidade que tivemos pudor em puxar das câmaras, com medo que a magia se desvanecesse.

Quase nas despedidas, perguntámos timidamente: ‘foto?’ O sorriso dele abriu-se ainda mais, virou gargalhada, e tivemos direito a uma sessão de fotografia à japonesa, que acabou connosco sentados no burro.

Resultado: para além das esplêndidas fotografias, o Jorge comecou, ainda na bicicleta, a despachar carraças ao piparote. Mais tarde, na praia em que acampámos, e depois de uma revisão completa ao corpo e roupa, a luta ainda continuou – o Carlos apanhou uma na areia; e o Jorge três, a subirem-lhe pela perna!





24 comentários:

Anónimo disse...

Cuidado meninos, se a carraça do deserto fôr como à nossa carraça é muito perigosa. Atenção, vasculhar outra vez o corpinho, debaixo dos bracinhos e a roupinha toda para ver se as meninas não andam por aí. Continuem assim que adoramos todos as vossas notícias. bjs

Kikas disse...

Vocês conseguem dar de caras com alguém no fim do mundo! É a vossa energia positiva que atrai situações especiais, pessoas simpáticas, burros e até carraças. Vejam lá se se viram mesmo livres delas porque podem ser muito perigosas, por experiência com os miúdos elas instalam-se nos locais mais recônditos (virilhas, sovacos, atràs das orelhas) e dão o cabo dos trabalhos para se descolarem. Boa sorte! Beijinhos.

Anónimo disse...

Carlinhos e Jorge por favor tenham muito cuidado com essas carracas, pois trazem febres e podem ser um alibi que possa transtornar a vossa ESPLENDIDA AVENTURA!!!!

Anónimo disse...

O truque é ensopar um pano com azeite e descolá-las antes de as arrancar. O fusca no outro dia tinha 2 nas orelhas. Depois têm de as queimar senão as gajas voltam.
Beijinhos e bom deserto!
Mariana

Anónimo disse...

O que é que partilharam com o berbere ? foram os bolinhos para o deserto?

Anónimo disse...

Parabéns!!! continuam óptimos! O burrito - muito giro!
Não deixem as carraças atrapalhar o vosso entusiasmo!
:)
ana*

Anónimo disse...

Parabéns!!! continuam óptimos! O burrito - muito giro!
Não deixem as carraças atrapalhar o vosso entusiasmo!
:)
ana*

Bárbara Sá disse...

Ui...a minha irmã há uns bons anos teve febre da carraça, não podem imaginar o que a desgraçada sofreu...vejam lá se as arrancaram bem...as "cabeças" ás vezes são difíceis de arrancar.
"Mariana" és a maior! essa técnica parece mesmo boa :)...para quando o nosso jantarinho???
bjns a todos e continuem com este espírito fabuloso :)

Anónimo disse...

Bravo, Mariana — o melhor remédio é esse: Azeite. Elas descolam-se directo! O problema é localizar, que as malvadas instalam-se onde menos se imagina. Vêm as febres e é um sarilho para saber onde está!!

Adorámos esta parte "...vontade de trocar histórias..."! É ao que foram, não é assim?

Cá pra nós, Kikas, eles ainda encontram uma pulga no deserto.......
Cris&Art

Anónimo disse...

Olá, queridos. Mas os meninos estão com um bronze de fazer inveja! A vossa prima Lilá até já me pediu o Grand Cherokee para vos fazer uma visita.
E na Salomon não tinham calções para vocês? Deve estar aí quentissímo e vocês sempre de calças, até me dá calores, estou a pensar em pedir à Dona Florinda para baixar a temperatura do ar condicionado.
Beijos,
Tia Liló

Anónimo disse...

arrancar carraças...fica lá a cabeça!! resultado febre da carraça.

Anónimo disse...

Rapazes !
Hoje desci ao povoado e fui logo saber notícias vossas !
Já vi que estiveram perto das carraças.
Aqui vão mais uns conselhos!
A febre da carraça provoca febre prolongada sem outros sintomas. Se o local da picada é quase sempre evidente, mais difícil é conseguir descobrir a carraça. O tratamento é um antibiótico por via oral.
Mas, nem sempre a picada da carraça provoca a febre, porque nem todas estão infectadas com o agente infectante, a riketsia.
Espero que não tenham sido picados e caso isso acontecesse o simpático burrito tivesse carraças mansas.
Abraços. Tenente reformado

Anónimo disse...

Rapazes!!!
Há carraças do caraças.....
Cuidado com as carraças!!!
Boa travessia do deserto.
007

Anónimo disse...

mais provavel e que ja tenhao morrido
com a febre da maldita
mais uma blog que vai ficar desatualizado

Ana Lupi disse...

Carlinhos onde estás ?
Incomunicável no deserto? Com a temível febre da carraça ?
Francamente fiz 60 anos dos quais 32 anos contigo, as tuas irmãs e sobrinhos fizeram-me uma grande festa e tu onde estás?
Abaixo as mães distantes e compreensivas que não necessitam das suas "crias " para se sentirem realizadas.beijos Mãe
e porque "todas as histórias de amor são ridículas.F:P."

Anónimo disse...

Bem-vindo, Sr. Tenente Reformado.
Sentimos a sua falta e os seus conselhos para os 2 viajantes.
Carlos, esqueceu-se dos anos da sua mãe? Olhe que mãe há só uma!
subscrevo o que a sua mãe disse.
Tia M

Anónimo disse...

Vi um epsodio do dr. House que era sobre as malditas das carraças.
Ela tava escondida bem la no meio da selva amazonica...
bem, continuação de uma optima aventura.
beijinhos
Helena Falé

ana lupi disse...

Estava a brincar porque sei que estão no fim do mundo sem net!
Boa travessia do deserto ! Beijos

Anónimo disse...

Hehe! Grande aventura! Boa sorte e cuidado com os bichos... Beijinhos. Luísa

Anónimo disse...

Jorge procurem as carraças nos sitios mais incriveis. uma vez tirei uma ao bernardo num sitio incrivel...a maneira certa de as tirar é mesmo com azeite.
Continuamos a seguir a vossa viagem com entisiasmo.
Beijinhos Tia Guida

Anónimo disse...

Ai por Deus, aonde andam????????
Deem noticias de alguma forma!
madrinha

joana neves disse...

Ainda nao ha noticias deles?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
TÁTÁ disse...

Carlinhos e Jorge:
Apesar de só hoje te escrever (Carlinhos), tenho seguido a vossa viajem desde o primeiro dia.
Quero felicitar-vos pela coragem e espírito aventureiro que manifestam. Considero que vocês são o exemplo actual de tenacidade, coragem e espírito dos antigos navegadores portugueses do Século XV. Foi assim na descoberta de meio mundo... Vocês não estão a descobrir o mundo, nem mesmo a África Saariana, mas a conhecer e a dar-nos hipótese de conhecermos um pouco de um modo de vida que desconhecemos.
Parabéns!
Vaticino que vão continuar a surpreender-nos com mais histórias pitorescas e aventuras até chegarem à meta dos 1000 euros.As fotos são óptimas (ou será "ótimas"?) e as histórias ainda melhores.
Boa sorte no deserto e até à volta
BJS da Tátá