domingo, 1 de junho de 2008

48 horas depois (1/3)

Numa viagem tao cheia de peripécias e aventuras dignas de registo, seria facil chegar à "recta final" e acreditar que pouco mais podia acontecer. Nada mais errado. E as ultimas 48 horas sao o exemplo vivo disso: um taxi com 7 pessoas a bordo, deserto, vento e caes atropelados sao so alguns ingredientes da historia que vamos contar hoje e amanha, em 3 partes.

Suspense! Horror! Acçao! Sera que a nossa trilogia tem um final feliz? Logo veremos.

Parte 1 (de 3)
Contas à Vida

Sabado, 31 de Maio

Foi um dia muito cansativo. Acordamos as 5:30 para sair cedo de casa. Temos de sair depressa da Mauritania, o visto acaba na segunda-feira. Como ontem nao nos despachamos a horas para ir de autocarro, saimos de Nouadhibou de taxi, um Mercedes apinhado de gente e bagagem. Para tras deixamos o Joaquim e o Djalo, dois novos amigos que contamos reencontrar no regresso, daqui a pouco tempo.

No carro: o condutor e nos 2 à frente, 3 mauritanos e um maliense (?) atras, o porta-bagagens a abarrotar de... bagagem, com a Mikelina e a Penelope por cima, presas com cordas, a desafiar as mais basicas leis da fisica.

Foram quase 500km de deserto, pequenas tempestades de areia, muito vento e restos de carros a polvilhar a paisagem. Nada encorajador, ainda bem que nao viemos de bicicleta. Nesta fase da aventura, em que o preço do km baixou vertiginosamente, nao compensa.

Adiante: chegamos a Nouakchott, a capital da Mauritania, ao principio da tarde. Curiosamente, bastante mais cansados e doridos que na maioria dos trajectos feitos em bicicleta. Mas a vontade de pedalar era tanta, que foi so comer qualquer coisa e ja estavamos na estrada outra vez. Com o vento a favor, fizemos 40km e paramos para descansar e beber um cha numa loja à beira da estrada.

Acabamos por nao avançar mais. Ficamos à conversa com as senhoras da loja, depois o marido de uma delas convidou-nos para ficar, arranjamos um alpendre e ai nos instalamos.

Sao oito e meia, vamo-nos deitar. Estamos tao cansados que nem coragem temos para cozinhar o jantar. Comemos sardinhas no pao e Coca-Cola. O Jorge queixa-se de dores num joelho, e o Carlos das costas. Precisamos de umas boas horas de sono - mas amanha temos de sair cedo.

Temos 5000 Ouguias no bolso (13 euros) para os dois, e restam-nos 2 dias de visto. Faltam 250km ate à fronteira com o Senegal - 170 ate Rosso, 80 ate Diama. Se o vento continuar a favor, nao é impossivel. Amanha logo se ve.

Parte 2 - amanha de manha
Parte 3 - amanha à tarde

3 comentários:

Gisela disse...

Sao grandes voces..... Força nessas pernas que ja falta pouco. Quando chegares trato dessas costas carlos. lolololololol
Vibraçoes positivas e por ca continuamos a apelar a estrelinha para vos dar quele empurrao que falta no fisico.
Mil beijinhos

Anónimo disse...

É cruel publicarem a novela em três episódios.
De qualquer forma, a esta hora devem estar já no Senegal e de boa saúde. É o que importa.
Espero mais fotografias excelentes.

maria ccrítica

Anónimo disse...

Então a 2ª parte da empolgante novela?
Já passa do meio dia , despachem-se,meninos!
Beijinhos A.L