quarta-feira, 11 de junho de 2008

Vamos por partes

Parte 2 (de 3)
Não é bem côr-de-rosa

É "acôr-de-rosado", digamos. Dizem que depende da luz, das nuvens e de um sem fim de condições meteorológicas. E quando chegámos ao Lac Rose, o mítico lugar onde terminava o Lisboa-Dakar – até ao ano passado, pelas razões que se sabem –, a água era de um castanho rosado.

Foi o princípio do fim da viagem – e o terminar de um dos dias mais puxados dos últimos três meses e meio. Um pneu rebentado, outro furado. Raios partidos. Abutres a sobrevoar a estrada, num presságio que afinal não tinha nada a ver connosco – era só um cordeiro atropelado, mais um para somar ao interminável desfile de cadáveres e ossadas de animais na berma.

Vento contra. Vento a favor. Vento de lado. Calor – sempre muito calor. A roupa a colar-se à pele, a pele a colar-se à roupa, é difícil distinguir qual está mais suja.

A meio da tarde, quando finalmente saímos da estrada principal, foi com um sorriso que saudámos o caminho de areia que nos levaria ao lago. Comemos as mangas compradas na estrada a uma das 328 mulheres que veio ter connosco com baldes carregados de mangas, rimos com os miúdos a fazer caretas para a câmara, fugimos dos que nos pediam presentes, ou dinheiro, ou canetas; e sorrimos a quem nos pedia as bicicletas – muito se pede, por aqui.

Atravessámos manadas de vacas com saliva amarela-torrada, de tanto mastigar mangas. Empurrámos as bicicletas quando a areia tornava impossível pedalar. E quando finalmente chegámos ao Lac Rose, depois de intensos planos e prolongados detalhes sobre o tipo de filmagem que íamos fazer, já só queríamos um sítio para encostar as bicicletas, tomar um banho, dormir.

Noutra situação, quem sabe, poderíamos ter ficado desiludidos – não foi o caso. O lago não é côr-de-rosa, mas é de uma paz arrebatadora. E era mesmo o que precisávamos. Não sei se é de faltar tão pouco para chegar a Dakar, mas cada pedalada representa, ao mesmo tempo, um esforço e uma motivação maiores - enormes!

Quando chegámos ao Lac Rose, perguntámos a umas pessoas sobre onde ficar. Indicaram-nos um lugar, e imediatamente acrescentaram: “lá têm banho”. Será que se nota assim tanto?

15 comentários:

Gisela disse...

São Grandes voces.... lol
Parabens... Conseguiram.
E duplos parabens tambem ao Eduardo o terceiro elemento, que para alem de vos acompanhar em terra nesta aventura faz hoje aniversario. lol Mil beijinhos Eduardo e muitos para voces por aí por Dakar. Saudadinhas.zzzzzzzzz

Anónimo disse...

Muitos parabéns por terem chegado a Dakar! Adorei as últimas crónicas. Muitos beijinhos e bom regresso.
Mariana

vera disse...

Meus queridos,
Pena as bicicletas se perderem em mãos alheias, em Lisboa iriam certamente para um museu! Mas o que importa é o vosso regresso. Estou doida de saudades, rápido com isso!!!
Missão cumprida, orgulho que não se traduz em palavras...
Milhões de beijinhos, voltem para casa, depressa!
Vera

Anónimo disse...

Então, parabéns aos ciclistas... e ao costeleta!

Rui Vasco Neto disse...

caríssimos,
só hoje descobri o vosso blog, a vossa aventura. Mão amiga guiou-me até aqui e venho a fazer a vossa viagem em sentido contrário, lendo de cima para baixo. Não quero deixar de vos cumprimentar pela ideia e pela façanha de a realizar. Vou continuar a ler e escreverei seguramente sobre vocês, assim que digerir a surpresa de encontrar algo verdadeiramente diferente na rotina dos dias.
Chapelada aos dois e um abraço a cada um.

rvn

Flávio disse...

Os MEUS PARABÉNS!!!!!!!!!!

Agora é que vai ser... Sonho realizado ;)

é bom ser assim :D agr meio caminho para lisboa ;)

E adorei o último comentário no post :) é possível que se note bastante sim, agr podem tomar um BOM e relaxante banho ;) mas em lisboa... terão direito a outras mordomias que já não tem à muito :)

Anónimo disse...

Que banho merecido.....
Parabéns por conseguirem alcançar o vosso sonho, e pela coragem (loucura ?) que tiveram.
Abraços
007

AsUkA disse...

Vocês são os meus heróis!!! =)

Anónimo disse...

Rapazes!
Vocês são o Capelo e Ivens do sec XXI.
Parabéns!

Anónimo disse...

Meninos,adorei esta ultima tirada!
Voces sao o maximo em tudo:na escrita,nos sentimentos,na maneira como aproveitam as situacoes e em toda a vossa garra!


Parabens mais uma vez
madrinha

Troca Letras disse...

Já falaram com a C M de Lisboa souber as bicicletas?
Elas mereciam ficarem em exposição, porque fazer o Lisboa Dakar em 2 rodas sem motor não é para qualquer máquina.
E os fabricantes das bicicletas será que não gostavam de ficar com elas como promoção, já agora de que masca elas são?
Deviam pensar nisso antes de as vender

Anónimo disse...

Para mim o mais tocante nestas mensagens do "blog" foi a conversa do casamento...pois sem "Amor" nada feito!Podemos levar isto no gozo perante a situacao, mas o que e certo e que a brincar a brincar se diz Verdades!!!!!!


a curiosa.

Anónimo disse...

Realizaram o sonho de muitas pessoas... Só isso, já é um motivo de orgulho.
As lembranças de uma viagem nunca se perdem, e quando tiverem 80 anos, vão poder contá-las cheias de orgulho aos vossos netos.
Quanto ás bicicletas, podem comprá-las de novo no e-bay em 2050 pelo preço de uma obra de arte.
Dakar...Dokaraças! Ganda viagem.
Abraço

Anónimo disse...

Quando voltam? Querem que vá aquecendo o almoço?
Tenho uma proposta:
Conhecem Tóquio? Sabem andar de patins?
Boa viagem de volta...
Diogo(o teu irmão)

JMalho disse...

Desde o inicio da vossa viagem que venho aqui ao blog mas nunca me deu para comentar. Quero que saibam que sou só mais um que vos admira por tudo o que fizeram ate agora.. Sem duvida, são os maiores! Parabéns! Boa sorte para o regresso.. Que a "estrelinha" que vos acompanhou ate agora na viagem, voa siga no resto da vida!
Parabéns!